Loading...

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Tratamento para dependência química com ibogaína

O assunto vem se destacando em alguns canais de televisão, revistas e portais. Trata-se do tratamento para dependência química com ibogaína – princípio ativo de uma planta africana chamada iboga. Para muitos, é a esperança da cura. Já outros acreditam que é preciso cautela. Neste texto, você vai entender como funciona este tipo de tratamento.

O uso da ibogaína

O tratamento para dependência química com ibogaína começa 30 dias antes. É o tempo recomendado para que o adicto fique sem qualquer tipo de substância psicoativa: medicamentos, álcool e outras drogas.
Em uma clínica, o dependente químico toma a ibogaína e fica lá durante um período, pois o remédio provoca efeitos que podem durar até 48 horas. Pessoas que já fizeram o tratamento para dependência química com ibogaína relatam que veem uma retrospectiva de toda sua vida em uma espécie de sonho.  Após este período, eles garantem que não sentiram mais vontade de usar drogas.

Pesquisas sobre ibogaína

Uma pesquisa do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) com 75 pacientes (usuários de crack, cocaína ou álcool), entre janeiro de 2005 e março de 2013, mostrou que há 61% de sucesso nos casos.

Riscos

Os estudos sobre a substâncias são considerados ainda escassos.  O que faz com que muitos especialistas prefiram optar pela cautela no tratamento da dependência química com ibogaína.
Mesmo aos que optam por se arriscar, sabe-se que não é um tratamento recomendado para cardíacos e portadores de alguns tipos de doenças neurológicas.

Preço da ibogaína

O tratamento para dependência química com ibogaína não é para todos os bolsos: os preços variam entre R$ 7.500 a R$ 30.000.
Vale ressaltar que é preciso ficar atento pois, trata-se de uma substância importada que requer autorização da Anvisa para a importação. Assim, não são todas as clínicas que realmente estão aptas a oferecer este tipo de tratamento.

Alternativa segura e econômica

No Brasil, existe uma alternativa segura e econômica. Trata-se da Cortexetina – um composto de agentes quelantes que promovem a limpeza do organismo, eliminando seletivamente as substâncias tóxicas. Não é preciso que o dependente químico esteja em abstinência para iniciar o tratamento, não precisa de internação e não há efeitos de alucinações.
Veja a comparação completa entre o tratamento para dependência química com ibogaína e o tratamento com Cortexetina: Tabela comparativa ibogaína x Cortexetina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário