Loading...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Iodeto de potássio protege pessoas contra radiação?

Por Larry Greenemeier 
Como medida de precaução contra a exposição à radiação, os japoneses distribuíram 230 mil unidades de pastilhas de iodeto de potássio, contendo uma forma estável de iodo, em áreas em torno dos complexos nucleares Daiichi e Daini de Fukushima, de acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Foi demonstrado que o iodeto de potássio protege a glândula tiróide da forma radiativa de iodo liberada por acidentes nucleares.


O câncer de tiróide acabou tornando-se o maior impacto na saúde pública causado pelo desastre do reator nuclear em Chernobyl, de acordo com um relatório publicado no mês passado pela Comissão Científica das Nações Unidas sobre os Efeitos da Radiação Atômica. 

Enquanto o Japão se esforça para retomar o controle da usina Daiichi, a demanda por iodeto de potássio cresce até mesmo a 8 mil km de distância, na Costa Oeste da América do Norte. A Anbex Inc., baseada em Williamsburg, Virgínia, anunciou em seu website que vendeu todo o seu estoque de iodeto de potássio da marca iOSAT. Outros fabricantes da substância fizeram relatos semelhantes de escassez de seus produtos. 

Scientific American falou com John Boyce, professor no Centro de Câncer Vanderbilt-Ingram da Vanderbilt University e epidemiologista do Instituto de Epidemiologia Internacional em Rockville, Maryland, para compreender por que o iodeto de potássio está em demanda.


Por que o iodeto de potássio é administrado a pessoas que foram expostas ao iodo radiativo?

A tiróide é como uma esponja para iodo. Sabe-se desde os anos 1970 que, se você administrar iodo normal, a tiróide o absorverá e então bloqueará a absorção de exposições subsequentes a iodo radiativo. Assim, se você toma iodeto de potássio e é exposto ao iodo radiativo, ele não terá lugar para ir, já que sua tiróide está toda cheia, e o material radiativo será excretado do corpo.

Câncer de tiróide é o maior risco quando há iodo radiativo no ar?

Em relação ao iodo radiativo, a preocupação é apenas com a glândula tiróide. É claro que, num evento como o de Chernobyl, onde o vaso de confinamento do reator não conteve tudo, alguns outros elementos radiativos também foram liberados, entre eles césio e estrôncio, bem como parte do combustível do reator –urânio e plutônio. Ainda assim, os dois principais elementos de preocupação no caso de um vazamento de radiação seriam o iodo e o césio radiativos. O césio tem meia-vida de 30 anos, por isso permanece um pouco mais no ambiente.

O iodeto de potássio protege contra outras formas de câncer?

Não, é um caso raro. Essas pílulas de iodeto de potássio não são mágicas. Elas protegem contra o câncer de tiróide, mas não contra outras possíveis formas de câncer.

Supondo que haja mais do que iodo radiativo no ar, o que as pessoas podem fazer para se proteger?

Não há agente protetor contra outros tipos de câncer. As medidas de proteção são: retirar as pessoas, levá-las o mais longe possível da área de exposição à radiação, de forma que a dose de contaminação seja bem mais baixa. E as pessoas têm de ficar dentro de casa, não sair e respirar ar contaminado. Se tiver alguma exposição a elementos radiativos, o certo é tomar uma ducha e lavar isso do corpo imediatamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário