Loading...

sábado, 25 de abril de 2015

Por que o Nepal é tão vulnerável a terremotos?


Localizado em uma das regiões de maior atividade sísmica do mundo, país está acostumado a enfrentar tremores.

Jonathan AmosCorrespondente de Ciência da BBC News
 Um tremor intenso seguido por vários outros gerou um enorme estrago no Nepal  (Foto: Prakash Mathema/AFP)Um tremor intenso seguido por vários outros gerou um enorme estrago no Nepal (Foto: Prakash Mathema/AFP)

Na região do Himalaia, já foram registrados outros terremotos significativos, como este mais recente, de magnitude 7,8.
O terremoto ocorrido no Nepal neste sábado (25) vem se mostrando particularmente mortal, com mais de mil vítimas registradas até o momento, mas o país está acostumado a este tipo de evento.
Houve um tremor de magnitude 8,1 em 1934, um de magnitude 7,6 em 2005 e um magnitude 7,5 em 1905. Estes dois últimos foram especialmente destruidores, deixando mais de 100 mil vítimas e milhões de desabrigados.
Isso ocorre porque o Nepal numa das regiões de maior atividade sísmica do mundo. Basta olhar para os Himalaias para entender o que isso significa.
Estas montanhas estão sendo erguidas como consequência da movimentação da placa tectônica indiana para baixo da placa tectônica eurasiana, na Ásia Central.
Estas duas porções da crosta terrestre estão convergindo a um ritmo de 4 a 5cm por ano. E, conforme o Monte Everest e suas montanhas-irmãs se erguem, ocorrem inúmeros tremores.
"Uma acomodação destas placas tectônicas provavelmente criou este terremoto mais recente no Nepal", afirma David Rothery, professor de geociências planetárias na Open University, no Reino Unido.
"Há relatos de vítimas em Kathmandu, mas temos que esperar para ver o tamanho da tragédia."
Vítimas
As estimativas iniciais de vítimas, mesmo em grandes terremotos, costuma começarem baixas e depois crescerem.
Neste caso específico, há o receio que o número final seja muito alto.
Isso não se deve apenas à magnitude do principal tremor, de 7,8 graus na escala Richter, mas também porque ocorreu bem próximo da superfície, a meros 10 ou 15km de profundidade.
Isso fez com que a superfície da terra tremesse intensamente. E, nas quatro horas seguintes, ao menos outros 14 tremores foram registrados, a maioria deles com magnitudes 4 ou 5, com exceção de um de magnitude 6,6.
A cada degrau desta escala, a energia liberada pelo terremoto é 30 vezes menor, mas, quando edifícios já estão danificados, um pequeno tremor pode ser suficiente para fazer esta estrutura desmoronar.
E grande parte da população nesta região vive em casas muito vulneráveis a terremotos.
Deslizamentos
Uma das maiores preocupações, baseado em esperiências anteriores, é a possibilidade de deslizamentos de terra.
Em locais de terrenos montanhosos, vilarejos podem ficar isolados ou até mesmo serem destruídos pela lama e pedra.
Se isso de fato ocorrer, a situação se tornará ainda mais emergêncial, além de tornar o acesso a informações sobre a real gravidade do desastre ainda mais difícil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário