Loading...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

TUDO SOBRE QUEDA DE CABELO



Queda de cabelos em mulheres
Pode causar espanto, mas os dermatologistas garantem que a calvície feminina é um problema comum. A queda de cabelos tem as causas mais diversas e, entre as mais comuns, estão as mudanças hormonais, a genética e distúrbios como a anemia e o hipotireoidismo.
Segundo o dermatologista Marcio Rutowitsch, chefe do setor de dermatologia no Hospital dos Servidores do Estado, cerca de 30% das mulheres com 50 anos têm algum grau de calvície. É preciso ficar atento aos sinais, já que a queda de cabelo no sexo feminino costuma ser diferente da no masculino, sendo raras as mulheres que ficam completamente carecas. O que acontece é um afinamento progressivo dos fios, geralmente a partir dos 30 anos.

Perda de até 100 fios por dia é normal
O dermatologista Celso Tavares Sodré, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), alerta que as mulheres devem ficar atentas a alguns sinais especiais, já que, todo dia, as pessoas perdem cerca de 100 fios. Essa perda só preocupa se os fios começam a se acumular no ralo da pia ou do chuveiro, na escova, nas roupas ou no travesseiro.
Quando todo o cabelo fica mais ralo, caem tufos ou há um afinamento onde os fios são repartidos, é hora de procurar um médico. Os tratamentos respondem melhor quando a calvície está em fase inicial e vai variar de acordo com o tipo de queda. Para um diagnóstico completo, os médicos costumam recomendar exames clínicos e laboratoriais, como o tricograma (análise dos fios). Em alguns casos, é necessário fazer a biópsia do couro cabeludo.
Um dos tipos mais comuns de queda de cabelo é o eflúvio telógeno, caracterizado pela diminuição dos fios em toda a cabeça. A queda pode ser aguda ou crônica e geralmente é causada por febres altas, dengue, anemias (causadas por menstruações intensas ou deficiências nutricionais), dietas radicais, medicamentos e no pós-parto.
- Doenças endocrinológicas, como as da tireóide, e estresses importantes também podem fazer o cabelo cair. Em geral, o distúrbio se resolve espontaneamente ou em até seis meses quando a causa é corrigida - afirma Sodré.
TIPOS DE ALOPÉCIA 
Grau I - O primeiro sinal é um afinamento do cabelo, em geral na parte anterior e superior da cabeça. No começo parece que a risca do penteado vai ficando mais alargada, até que se percebe a redução do volume e um crescimento lento do cabelo;
Grau II - Depois, uma rarefação acentuada, cria-se uma espécie de transparência, permitindo que se veja o couro cabeludo através do cabelo;
Grau III - Os fios ficam finíssimos, frágeis, quebradiços e mais claros. Nesse estágio, a calvície já está instalada. A linha de cabelo rente à testa é geralmente poupada, assim como o cabelo da região posterior, acima da nuca, por serem menos suscetíveis à ação hormonal. Na linha anterior, a enzima aromatase ajuda a proteger o cabelo da ação hormonal.

Causas da queda de cabelo feminino

As causas da queda de cabelo feminino podem ser:
  • Anemia;
  • Estresse;
  • Inflamação no couro cabeludo;
  • Fumaça de cigarro, que se acumula nos cabelos;
  • Tratamento capilar de má qualidade, como uso de coloração, permanentes ou alisamentos;
  • Uso de penteados que "puxam" muito a raiz do cabelo como tranças e dreads locs;
  • ​Fatores genéticos
  • Uso de medicamentos como varfarina, heparina, propiltiouracila, carbimazol, vitamina A, isotretinoína, acitretina, lítio, betabloqueadores, colchicina, anfetaminas e medicamentos contra o câncer.
A queda de cabelo feminino também pode ser causada por alterações hormonais e pela amamentação porque nesta fase o corpo utiliza os micronutrientes para produzir o leite materno e por vezes pode não haver nutrientes necessários para o cabelo estar saudável.

Tipos de queda de cabelo nas mulheres


Nem toda queda de cabelo é igual. Em alguns casos, é hereditária; em outros, ela é deflagrada pelo estresse, por dietas não balanceadas ou doenças. A única coisa que elas têm em comum é o resultado: a perda de cabelo. As formas que ocorrem mais comumente são a “queda de cabelo difusa” e a “queda de cabelo hereditária”. Outra forma é a queda de cabelo em forma de círculo (alopecia areata), que produz áreas isoladas de calvície claramente delimitadas. As causas desse tipo de queda de cabelo ainda não foram inteiramente entendidas, mas presume-se que ela seja uma doença autoimune. Em todos esses casos, o tratamento deve ser administrado por um dermatologista experiente.
Ao contrário da crença popular, a queda de cabelo não é um problema exclusivamente masculino: cerca de 40% das mulheres sofrem de algum tipo de queda de cabelo que exige tratamento pelo menos uma vez ao longo da vida.

Queda de cabelo difusa

A interrupção do ciclo de crescimento do cabelo leva à queda
A forma mais comum de perda de cabelo entre as mulheres é a queda difusa, que afeta todo o couro cabeludo. A queda de cabelo difusa ocorre quando a raiz do cabelo já não cumpre sua função natural por estar privada de elementos fundamentais para os processos metabólicos. A raiz diminui e a fase de crescimento do cabelo se reduz.


Verifica-se uma reação em cadeia, mas muitas vezes seus efeitos permanecem imperceptíveis durante vários meses.
  • Falta de elementos fundamentais para o metabolismo capilar (ex.: aminoácidos, queratina, vitaminas)
  • Declínio da atividade metabólica e da formação de novas células
  • Entrada prematura do cabelo na fase telógena (fase de repouso) seguida de queda
  • Surgimento de um desequilíbrio entre o cabelo anágeno (em crescimento) e o telógeno (em queda).
  • Queda de mais cabelo que o que pode voltar a crescer
Felizmente, a queda de cabelo difusa pode ser tratada com bons resultados. O objetivo da terapia é ativar o metabolismo capilar para que se formem novas células na raiz e o cabelo retorne à fase de crescimento. É aí que entra o tratamento com Pantogar®: sua combinação exclusiva e altamente concentrada de substâncias ativas reativa o funcionamento natural da raiz do cabelo, corrigindo a interrupção do ciclo de crescimento. Ele interrompe a queda e estimula o crescimento de cabelo novo e saudável.
O deflagrador inicial do processo deve também ser identificado e, se possível, tratado, é claro.

A queda de cabelo hereditária nas mulheres

A hipersensibilidade das raízes é hereditária 
Outra forma de queda de cabelo é herdada e geralmente associada apenas aos homens. Entretanto, a queda hereditária também pode ocorrer entre as mulheres e afeta cerca de 19% delas.
Enquanto os homens muitas vezes perdem cabelo na juventude, nas mulheres a queda hereditária geralmente só ocorre após a menopausa. O padrão da queda de cabelo também é diferente do dos homens: o cabelo cai principalmente na testa e no vertex.
Na queda de cabelo hereditária, as raízes do cabelo apresentam hipersensibilidade ao hormônio masculino testosterona produzido no corpo ou à forma mais ativa deste, a dihidrotestosterona (DHT). Isso significa que a DHT influencia negativamente o funcionamento das raízes, fazendo-as diminuir e interrompendo o crescimento do cabelo. A testosterona e a DHT são andrógenos, razão pela qual a queda de cabelo hereditária também é conhecida como “queda androgenética” ou “alopécia androgenética” nos círculos especializados.
A queda hereditária também pode ser tratada com medicamentos especiais, aplicados diretamente nas áreas afetadas. O modo de ação exato desses preparados ainda não é conhecido, mas presume-se que os efeitos positivos se devam à expansão dos vasos sanguíneos.
Os médicos geralmente recomendam Pantogar® como terapia combinada para a queda hereditária, já que o complexo de substâncias ativas altamente concentrado também fortalece o funcionamento natural da raiz do cabelo.

Alopécia androgênica atinge 1 em cada 5 mulheres 

Outra causa comum é a alopecia androgênica - a calvície hereditária - que chega a atingir uma em cada cinco mulheres, de acordo com a Academia Americana de Dermatologia, nos Estados Unidos. Rutowitsch explica que, nesses casos, os fios da linha da testa são preservados e a mulher não ganha entradas, mas o cabelo da parte de trás e no alto da cabeça vai ficando mais ralo.
A predisposição genética é que vai determinar o grau de queda, mas o excesso de hormônios masculinos, muitas vezes elevados por problemas no ovário ou nas glândulas suprarrenal e hipófise, pode contribuir para o seu agravamento.
Tanto Rutowitsch como Celso Sodré alertam que, raramente, penteados, escovas, chapinhas e tinturas fazem o cabelo cair.
- Em geral, esses procedimentos provocam a quebra do cabelo, mas quase nunca vão provocar a queda. Mas a tração continuada de alguns processos, como os alisamentos e os penteados afros, podem provocar a perda definitiva dos fios - alerta Sodré.

Tratamento com boa taxa de sucesso

Muitos tratamentos usados para combater a calvície masculina não podem ser feitos por mulheres, já que eles agem diretamente nos hormônios. Dependendo do caso, Celso Sodré recomenda medicamentos por via oral ou tópica que antagonizem a ação dos hormônios masculinos.
- Os resultados são variáveis. Em geral, conseguimos a diminuição, a estabilização ou mesmo a reversão parcial do processo. Na calvície, os resultados demoram no mínimo seis meses para serem observados e o tratamento é para sempre.
Fonte: Portal da SBD

Tratamento para queda de cabelo feminino

O que pode-se fazer para o tratamento da queda de cabelo feminino é uma boa alimentação, uso de remédios e de produtos específicos para queda de cabelo, como o óleo de alho da gota dourada ou tratamentos estéticos, como mesoterapia e carboxiterapia capilar.
Alguns exemplos de produtos contra queda de cabelo feminino são:
  • Tratamento Anti queda Dercos aminexil da Vichy
  • Kérastase especifique intervenção anti-queda com aminexil
  • Tônico fortificante Amend anti queda
Numa consulta médica, o dermatologista poderá ser capaz de identificar a causa da queda de cabelo e então indicar a melhor forma de tratamento.
Seja qual for o tratamento escolhido, ele deve sempre ir ao encontro com a causa da queda de cabelo, para que realmente seja eficaz.

Remédio para queda de cabelo feminino

Um bom remédio indicado para queda de cabelo feminino é o Minoxidil,​ que atua melhorando a circulação sanguínea no couro cabeludo, diminuindo a queda de cabelo, mas geralmente ele é utilizado em combinação com outros medicamentos para que alcance resultados satisfatórios. Outros exemplos de remédios para queda de cabelo feminino são:
  • Saiba quais são as principais substâncias que ajudam a fortalecer os fios e auxiliam na redução da queda dos cabelos:

    • Zymo HSORNovidade no mercado brasileiro, o Zymo é um complexo enzimático de origem biotecnológica que atua no combate à queda de cabelos causada pela alopecia androgenética (AAG) feminina e masculina. Ele tem a propriedade de degradar a DHT no folículo pilosebáceo permitindo que o cabelo cresça novamente e receba menor agressão no processo da calvície. O uso pode ser complementado pelo Zymo Hair Xampu Enzimático antes da aplicação. Segundo estudo, aumenta em 73% o numero de fios após 6 meses de tratamento.

    • MinoxidilAge melhorando a circulação no couro cabeludo e consequentemente retardando a queda do cabelo. Isoladamente os resultados são limitados. Não há recuperação total dos fios, mas reduz a perda de cabelos.

    • FinasteridaUtilizado na forma oral ou tópica. Atua bloqueando a ação da DHT sobre os receptores dos bulbos capilares dos fios predispostos à calvície. Funciona bem para as áreas do meio e da coroa, não atuando do mesmo modo para a frente e entradas. Os resultados podem ser observados após 6 ou 8 meses de tratamento.

    • 17 Alfa EstradiolSolução capilar indicada nos casos de diminuição da fase anágena no ciclo de desenvolvimento capilar na alopecia leve a moderada, em homens e mulheres (queda de cabelos por fatores hormonais). Estudos clínicos mostraram um aumento na proporção de fios na região frontal, mostrando-se eficaz em aproximadamente 85% dos pacientes.

    • FitoterápicosErvas e plantas medicinais também têm sido utilizadas para combater a queda de cabelo ou calvície. O alecrim é uma das plantas medicinais mais utilizadas em xampus, condicionadores e cremes para cabelo que auxiliam no tratamento da caspa, retardamento do aparecimento de cabelos grisalhos e na prevenção da queda de cabelo. Já o gingko biloba tem sido indicado por médicos pela eficácia em restaurar o funcionamento do sistema circulatório e melhorar o fluxo sanguíneo, fatores importantes na perda de cabelo.

    • VitaminasO fator chave para o crescimento do cabelo é uma dieta rica em vitaminas. Todas contribuem para a melhoria dos fios, mas algumas são fundamentais na restauração do folículo, como a vitamina B, uma das melhores para o crescimento do cabelo; a vitamina A, que se não for fornecida nas quantidades adequadas ao corpo, leva à perda de cabelo; e a vitamina E, que ajuda na melhoria da textura dos fios.

    • MineraisA falta de minerais como silício e zinco enfraquece não só o cabelo mas unhas e pele, por exemplo. Para ajuda a evitar e prevenir a queda de cabelo, é importante comer ostras, fígado, leite e farelo de trigo. O zinco tem ação principalmente quando os pacientes são idosos, e os seus cabelos vão ficando finos e frágeis.

    • Xampu de CetoconazolAntifúngico usado topicamente no couro cabeludo para diminuir a população de fungos, o excesso de oleosidade (o sebo é rico em DHT) e alguns estudos mostram que ele também inibe os níveis de DHT. A aplicação deve ser feita de duas a quatro vezes por semana.

    • Gel FFInibe a produção de DHT. O gel transdérmico permite a atuação apenas no couro cabeludo, sem absorção sistêmica.

    • RevivogenA fórmula contém ingredientes naturais que reduzem a produção local de DHT, bloqueiam os receptores androgênicos e estimulam o crescimento capilar. Deve ser aplicado diariamente.

    • Auxina TricógenaÉ um extrato hidroalcoólico obtido da tussilagem (Tussilago farfara), milefólio (Achillea millefolium) e quina (Cinchona officinallis), com ação tônica e nutriente para o bulbo capilar. É usada no tratamento da alopecia, prevenção da queda dos cabelos e em alterações do crescimento da barba. Também é usada como estimulante do crescimento dos cílios. Bioenergizer Ativo marinho obtido das algas vermelhas Laminaria digitata, com tonificante e fortalecedora dos cabelos. Melhora a irrigação sanguínea no couro cabeludo e as trocas intercelulares, fortalecendo a raiz e os fios de cabelo, acelerando seu crescimento. In vivo, aumentou a quantidade dos fios de cabelo (+10%) e sua taxa de crescimento (+27%).

    • FollicusanAnti-queda (testado in vitro). Normaliza o ciclo do crescimento capilar. Previne desordens funcionais do couro cabeludo, normaliza a secreção sebácea, evitando a formação da caspa.

    • Hair ActiveEstimula a renovação celular e a microcirculação (ação vasodilatadora devido à vitamina PP). Possibilita uma melhor penetração de nutrientes na papila do folículo.

    • CafeínaÉ um estimulante do crescimento do folículo capilar, aumento os queratinócitos, de acordo com a pesquisa do professor Peter Elsner, do Departamento de Dermatologia da Universidade de Jena, na Alemanha.

    • L-CarnitinaÉ responsável pela manutenção do metabolismo energético em todas as células do organismo. Transporta ácidos graxos através das membranas celulares até as mitocôndrias, onde ocorre a beta-oxidação (queima) para serem transformados em energia. Estimula o crescimento capilar do couro cabeludo humano através da redução da apoptose e aumento da proliferação dos queratinócitos da matriz capilar. Também aumenta a resistência física (energia), contribui para o equilíbrio dos triglicérides e ajuda na defesa do sistema imunológico.
​​Estes remédios são eficazes contra a alopécia, mas só devem ser utilizados sob prescrição do médico dermatologista.

Alimentação para queda de cabelo feminino

O segredo da alimentação contra queda de cabelo feminino está em aumentar o consumo de alimentos ricos em proteína e em selênio, um mineral importante para a formação da pele, cabelos e unhas.
Alguns exemplos de alimentos ricos em proteínas são todos os de origem animal e osalimentos ricos em selênio são castanhas e farinha de trigo, mas como o selênio em excesso pode ser prejudicial ao organismo, aconselha-se o consumo de apenas 1 castanha-do-pará por dia como forma de suplementação deste mineral.

Vitamina contra queda de cabelo feminino

Uma ótima receita para queda de cabelo feminino é tomar regularmente a seguinte vitamina:
Ingredientes
  • 1 folha de couve
  • ½ limão com casca
  • 1 colher de chá de gérmen de trigo
  • 1 castanha-do-pará
  • 200 ml de água
Modo de preparo
Bater todos os ingredientes no liquidificador e beber a seguir. Tomar diariamente por 3 meses e então, depois deste período, avaliar os resultados. Esta vitamina é rica em vitaminas e minerais que são essenciais para vencer a queda de cabelo.
OUTROS FATORES QUE OCASIONAM A ALOPÉCIA 
doença :
•    Traumática
•    Neurótica
•    Seborreia: 
•    Eflúvio 
•    Androgenético 
•    Emocional 
•    Bioquímica

11 mitos e verdades sobre a queda de cabelos


1) Lavar o cabelo com água filtrada evita a queda dos fios?
Mito. O uso de água filtrada não causa e nem evita a queda dos fios de cabelo.
2) Estresse é um dos causadores da queda de cabelo?
Verdade. Estresse, cansaço, ansiedade e depressão são uns dos principais fatores de queda de cabelo. Estes fatores, inclusive, podem ativar os genes ligados à calvície feminina.
3) Lavar a cabeça com água quente faz cair os cabelos?
Mito. Porém, pessoas que apresentam dermatite seborreica devem evitar a água quente, a qual estimula a produção de oleosidade, de maneira a piorar a doença e acarretar na queda dos fios.
4) Dietas radicais têm como consequência a queda de cabelos?
Verdade. A alimentação saudável, rica em nutrientes, é essencial para a saúde dos cabelos. Para não danificar os fios, a dieta deve ser rica em proteínas, vitamina B, ferro e sais minerais.
5) Lavar os cabelos todos os dias acelera a queda?
Mito. Os cabelos mais oleosos precisam ser lavados todos os dias para que haja a retirada do sebo produzido pelo couro cabeludo. Porém é importante prestar atenção na quantidade de xampu e creme, que precisa ser pouca, caso contrário a queratina do cabelo é sobrecarregada.
6) Dormir de cabelos molhados faz mal à saúde dos fios?
Verdade. Dormir com os fios úmidos e abafados facilita a proliferação de fungos e caspas, que com o tempo levam à queda de cabelo.
7) Prender o cabelo pode facilitar a queda de cabelos?
Verdade. Prender o cabelo é ruim em qualquer situação, seja rabo de cavalo, tiara, faixas, bandanas ou apliques. Isto porque cada fio de cabelo é preso por um músculo. Com a tração, o músculo pode ser rompido e o cabelo perdido para sempre.
8) Secador de cabelo e chapinha provocam queda de cabelo?
Depende. Se utilizados de forma incorreta, tanto o secador como a chapinha podem danificar o cabelo. No caso do secador, a distância na hora de secar os fios deve ser de pelo menos 30cm. Já a chapinha muito quente quebra e desidrata os fios.
9) O uso de boné faz cair o cabelo?
Depende. Usar o boné não seria o fator predominante na queda. Mas como o boné abafa o cabelo e aumenta a seborréia, pode acelerar a queda dos fios.
10) Passar condicionador na raiz do cabelo faz mal?
Verdade. Nem tudo que é bom para o cabelo é bom para o couro cabeludo. O condicionador na raiz torna o cabelo mais oleoso e propenso a incidência de caspa e sebo, que em excesso levam a queda dos fios.
11) Cabelo que cai nunca mais volta a crescer?
Mito. Já existem tratamentos dermatológicos com resultados significativos para interromper a queda dos cabelos e, até mesmo, cirurgias que fazem com que eles cresçam novamente.

TRATAMENTOS ESTÉTICOS CONTRA A QUEDA DE CABELO:
•    Mesoterapia
•    Implante capilar

Tratamentos eletroterápicos

Corrente de Alta Frequência:
produzida por um equipamento específico, é usada no tratamento com um eletrodo apropriado para cada tipo de cabelo, agindo no couro cabeludo como germicida e vasodilatadora.
Corrente Galvânica: 
aplicada após a corrente de alta freqüência, que prepara o couro cabeludo dilatando seus poros. É uma corrente contínua, reduzida a miliamperagem, que, associada a produtos, faz com que os agentes ativos penetrem pelos folículos pilosos e atuem diretamente na raiz dos cabelos.
Revitalização Capilar:
procedimento complementar à eletroterapia tem como objetivo fornecer substâncias específicas, nutrientes e hidratantes para cada necessidade capilar. Também indicada para cabelos ressecados ou danificados por agentes químicos (tinturas, descolorações, permanentes, relaxamentos, alisamentos).
Terapia com Fatores de Crescimento
Consiste na aplicação intradérmica de ativos como IGF e VEGF para estimular o crescimento do cabelo.
OUTRAS INFORMAÇÕES:
Como identificar a queda de cabelo?
•    Afeta todo o couro cabeludo, com queda de cabelo generalizada.
•    O paciente nota a perda aumentada na escova ou pente e durante a aplicação do xampu ou condicionador.
•    A perda varia de menos de 100 a mais de 1000 fios por dia.
•    Se o estresse não for repetido, o recrescimento completo e espontâneo se dará invariavelmente dentro de poucos meses.
•    Frequentemente as mulheres se queixam que o comprimento do cabelo nunca volta a ser o mesmo que o presente antes da gravidez.
•    Febres prolongadas ou altas podem destruir alguns folículos completamente, de modo que apenas uma recuperação parcial é possível.
Qual o tratamento para queda de cabelo?
Investigar a causa da queda de cabelo através:
•    Histórico clínico sobre o uso de medicamentos e exames laboratoriais (ex. excesso de vitamina A);
•    Doenças como diabetes, câncer, infecções, anemia etc.
•    Alterações hormonais, tais como hipotireoidismo e hipertireoidismo;
•    Regimes alimentares.
Cada patologia tem uma série de características próprias que ajudam a investigação para chegar ao diagnóstico. Uma vez diagnosticada a causa, faz-se o tratamento adequado.
Conheça as fases do cabelo (Ciclo Biológico):
A pele é o maior órgão do corpo humano, mediando nossa relação entre o mundo exterior e interior. Sua composição é formada de três camadas celulares: epiderme exterior, derme intermediária e a hipoderme, que é a camada mais interna. Os cabelos se formam na derme, de modo que todo o corpo tem pelos, com exceção da palma das mãos e da planta dos pés.
Existem aproximadamente cinco milhões de folículos pilossebácios, que compõem a estrutura dos cabelos de cada indivíduo. O ciclo biológico do cabelo é dividido em três fases: anágena, catágena e telógena. Cada uma tem um período de duração, de modo que um fio de cabelo cresce por um período médio de dois a oito anos. Após o tempo máximo de crescimento, a matriz para de produzir cabelo, se desprende e desloca no sentido da superfície da pele. Conheça um pouco mais sobre cada fase:
•    Fase Anágena (crescimento):
Nesta fase, a duração da atividade dos folículos varia conforme a região, raça, estação climática e idade do indivíduo. Tem duração de três a sete anos e, nos humanos, entre 80% a 90% dos folículos estão nesta fase. Em seguida vem a fase transicional, relativamente curta.
•    Fase Catágena:(Repouso)
Esta fase tem uma duração de duas semanas e compreende aproximadamente 1% dos folículos.
•    Fase Telógena: (Queda)
Cerca de 20 % dos folículos estão nesta fase. É considerada normal a perda de até 100 fios por dia, acima disso, recomenda-se uma investigação.
No ser humano, cada cabelo está em uma fase independente, de modo que, se todos os cabelos estivessem na mesma, a cada final de um ciclo de crescimento haveria uma perda de cabelo total deixando o indivíduo totalmente calvo, até a formação de um novo cabelo, ou seja, do novo ciclo biológico.
A queda diária normal de cabelos tem uma relação direta com o número total de cabelos e a duração da fase anágena, variando de pessoa para pessoa. Imagine, por exemplo, que uma pessoa tenha cem mil fios de cabelos e que seu anágeno dure três anos, significa que a cada três anos a pessoa troca todos os seus cabelos, tendo uma queda média de cem fios por dia.
Eflúvio Telógeno
O termo eflúvio telógeno significa a eliminação de cabelos em clava, que se segue à precipitação prematura dos folículos anágenos em telógeno. Um processo que ocorre como resposta dos cabelos a muitos tipos diferentes de estresse. Veja alguns exemplos a seguir.
•    Febre;
•    Parto prolongado ou difícil;
•    Operações cirúrgicas;
•    Hemorragias (inclusive doação de sangue);
•    Redução severa súbita de ingestão alimentar (dieta violenta);
•    Estresse emocional, inclusive devido a viagens aéreas prolongadas;
•    Quando a pílula anticoncepcional é descontinuada após ter sido tomada por muito tempo;
•    Medicamentos;
•    Alterações hormonais;
•    Doença venérea;
•    Doenças Metabólicas;
•    Doenças Infecciosas;
•    Doenças Inflamatórias;
•    Neoplasias (Câncer);
•    Doenças hereditárias.
As alterações do cabelo podem ser as mais variadas como:
Mudanças: Na cor; na estrutura; consistência; aspecto; queda. Até a destruição total do Foliculo Piloso.
- See more at: http://www.esteticas.com.br/alopecia.htm#s

Nenhum comentário:

Postar um comentário