Loading...

sexta-feira, 13 de março de 2015

3 fatores de risco que podem encurtar sua vida em 13 anos

Segundo um estudo recente, pessoas sem três fatores de risco aos 45 anos são diagnosticadas com insuficiência cardíaca 11 a 13 anos mais tarde, em média, do que as pessoas que possuem esses fatores de risco na mesma idade.
A insuficiência cardíaca, uma condição crônica na qual o coração não consegue bombear sangue suficiente para atender as necessidades do corpo, pode ser adiada da vida de uma pessoa se ela não desenvolver obesidade,hipertensão e diabetes.


As pessoas com apenas um ou dois desses fatores de risco desenvolveram insuficiência cardíaca em média 3 a 11 anos mais cedo do que as pessoas com nenhum dos fatores de risco.

Vivendo menos, vivendo mal

A insuficiência cardíaca é uma doença de alta prevalência que incide predominantemente nos mais idosos. É a maior causa de internação por doença cardiovascular no Brasil.

“A mensagem deste estudo é que prevenir ou retardar o aparecimento desses fatores de risco pode aumentar significativamente o número de anos que você pode viver livre de insuficiência cardíaca”, disse Ahmad Faraz, professor de cardiologia da Universidade Northwestern (EUA) e principal autor do estudo.

A insuficiência cardíaca aumenta o risco de outros problemas cardíacos, danos a outros órgãos e tem uma variedade de sintomas que afetam a qualidade de vida, tais como fadiga, inchaço e tosse persistente ou chiado. Cerca de metade das pessoas com insuficiência cardíaca morrem dentro de cinco anos de ser diagnosticadas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, não só no Brasil, mas no mundo todo, as doenças cardíacas serão a principal causa de morte nos próximos 25 anos.
As recentes descobertas oferecem uma maneira dos médicos comunicarem a seus pacientes a importância de evitar obesidade, hipertensão e diabetes. “Muitas vezes, médicos dão aos pacientes métricas de risco que são relativas e abstratas. É uma mensagem muito mais poderosa quando você diz a pacientes na faixa dos 30 ou 40 anos que eles serão capazes de viver pelo menos 11 a 13 anos sem insuficiência cardíaca se puderem evitar o desenvolvimento desses três fatores de risco”, argumenta Ahmad.

O estudo

Os pesquisadores analisaram dados de quatro grandes estudos incluindo um total de 18.280 pessoas realizados ao longo dos últimos 40 anos. Eles identificaram quase 1.500 casos de insuficiência cardíaca e compararam a idade em que os pacientes foram diagnosticados contra seu estado de saúde e fatores de risco aos 45 anos.

As pessoas sem obesidade, hipertensão ou diabetes aos 45 anos que desenvolveram insuficiência cardíaca foram diagnosticadas em média aos 80 anos, no caso dos homens, e 82 das mulheres. Pessoas com todos os fatores de risco que desenvolveram insuficiência cardíaca, em média, receberam seu diagnóstico no fim de seus 60 anos ou início dos 70.
Os pesquisadores planejam investigar mais profundamente os dados para determinar se o uso de medicamentos para controlar os fatores de risco ajuda a retardar o aparecimento da insuficiência cardíaca. Eles também planejam avaliar se existem diferenças nas associações de fatores de risco entre os diferentes grupos raciais. [Science20uaiscielo]

Nenhum comentário:

Postar um comentário